segunda-feira, 23 de junho de 2014

O Preço da Dose no Buteco!

Mais uma vez recorremos ao amigo João Almeida para alimentar o blog, que por sinal, ficou abandonado uns dias em virtude de um bloqueio total do Google sobre nossas contas...

Problema resolvido, vamos ao que interessa.

Muitos tem reclamado dos preços das doses de Cachaça vendidas nos bares, e com razão.

Vejamos abaixo duas publicações do João Almeida no grupo do Facebook "Apreciadores de Cachaça":

A INFLAÇÃO DA PINGA!!!

Sim, tem isso! É muito comum você chegar em um bar, pedir o cardápio de cachaça e seguir tomando sua cerveja, depois de torcer o nariz para o preço da dose. Comigo é mais do que comum! É claro que no preço da dose estão embutidos vários custos. Mas cobrar até R$ 30,00 numa dose de 50 ml numa cachaça que muitas vezes custa R$ 120,00 a garrafa??? Acho que isto é pedir para deixar a cachaça na prateleira por muitas semanas, o que é outra aberração. Cachaça depois de aberta vai perdendo as propriedades aos poucos e logo terá destino que não será exatamente o paladar do consumidor! fica a dica!!!


Agora a segunda:

CACHAÇA CLAUDIONOR??? NEM TANTO...
Foi assim que me senti ao pedir uma dose da cachaça Claudionor no restaurante Tempero das Gerais, no Brooklin, zona sul de São Paulo. O preço, salgado como de costume para a cachaça no restaurante: R$ 8,90. O garçom fez o que deve ser feito. Trouxe a cachaça e serviu na mesa. Mas quando emborquei o copo, percebi na hora que cheguei tarde. Sim, tarde. Deveria ter chegado logo que a garrafa havia sido aberta. O que estava no vasilhame não era mais a potente Claudionor, 48% de uma Amburana de responsa. Era quase uma água com gosto da madeira e alguma porcentagem de álcool. Isso ocorre porque como todos sabem, a cachaça perde suas propriedades assim que aberta e o tempo só agrava esta perda. Tenho batido nesta tecla. Vender a cachaça a um preço menor poderia ser uma saída para a bebida desparecer da garrafa antes de evaporar. Ok, não dá para vender mais baixo, então, que tal uma vedação melhor? A Claudionor a exemplo de várias outras cachaças vem com tampa de lata. No mesmo restaurante a dose da Anísio Santiago sai por R$ 40,00. Não me arriscaria!!!


Vejam que as duas publicações tratam o mesmo tema: O preço da dose e o tempo que a garrafa demora para ser integralmente comercializada.

As publicações são auto-explicativas, não necessitam de maiores esclarecimentos.

Fica a dica à consumidores e principalmente aos proprietários de bares!

Saúde e Aprecie com Moderação!

Nenhum comentário:

Postar um comentário